quarta-feira, 25 de junho de 2014

Jogadores que disputaram o Mundial a jogar em equipas Portuguesas (1974-1990)

Alemanha 1974
Héctor Yazalde (Argentina - Sporting): Primeiro estrangeiro a jogar um mundial por estando numa equipa Portuguesa. Jogou em 3 jogos tendo marcado 2 golos (bisou frente ao Haiti). Os dois golos que marcou foram os únicos na sua carreira internacional (10 jogos).


Espanha 1982
Ferenc Mészáros (Hungria - Sporting): 8 anos depois, Portugal volta a ter um representante no Mundial, desta vez foi o guarda redes Mészáros que tal como Yazalde representava o Sporting. Jogou 29 vezes pela Hungria tendo sido titular em 1978 e 1982.


México 1986
Rabah Madjer (Argélia - Porto): Pela primeira vez um jogador não pertencente ao Sporting chega a um Mundial. Formou juntamente com Mlynarczyk a primeira dupla do mesmo clube Português a disputar um Mundial. Um dos mais ilustres estrangeiros que já jogou em Portugal disputou 82 jogos pelo seu pais tendo marcado 29 golos o que o torna o melhor marcador de sempre da Argélia.
Józef Mlynarczyk (Polónia - Porto): Foi o Guarda Redes titular da Polónia em 1986 (já o tinha sido em 1982), jogou contra Portugal na fase de grupos (tornando-o no 1º estrangeiro a jogar no nosso campeonato a defrontar Portugal). Ajudou a Polónia a chegar ao 3º lugar. Jogou 42 vezes pelo seu país.

Itália 1990
Ricardo Gomes (Brasil - Benfica): Foi Capitão do Brasil (o primeiro do nosso campeonato a capitanear uma equipa em Mundiais) em 1990 e também o teria sido em 1994 (onde teria levantado a taça) não fosse uma lesão a afastá-lo da fase final. Jogou 45 vezes pelo seu país.
Branco (Brasil - Porto): Outro ilustre estrangeiro, jogou em 3 mundiais e foi campeão do Mundo em 1994. Disputou 72 partidas pelo Brasil
Valdo (Brasil - Benfica): Uma carreira invejável que durou praticamente 20 anos, só arrumou as chuteiras em... 2004 no Botafogo (e não num clube perdido nas divisões inferiores). Esteve presente em 2 mundiais (1986 e 1990) mas só foi titular em '90. 
Aldair (Brasil - Benfica): Mais um representante do Benfica que conseguiu colocar 3 jogadores numa selecção como a do Brasil. Outro jogador histórico que foi campeão do Mundo em 1994 e ainda esteve presente em 1998. Jogou 13 anos pela Roma. Por causa dele retiraram o nº 6 da equipa (embora este ano tenha sido atribuido a Kevin Strootman).
Jonas Thern (Suécia - Benfica): Foi capitão da Suécia entre 1990 e 1997 (em 1994 conseguiu o 3º lugar). Jogou em 2 mundiais e disputou 75 jogos pelo seu país. Para além do Benfica, destacam-se passagens pela Roma, Nápoles e Rangers. 
Mats Magnusson (Suécia - Benfica): Eram de facto outros tempos, 3 jogadores do Benfica no Brasil e 2 na Suécia. Foi um mundial azarado para Magnusson pois lesionou-se na competição e esteve praticamente 1 ano sem poder jogar. Disputou 30 jogos pela Suécia e marcou 9 golos.
Tomislav Ivkovic (Jugoslávia - Sporting): Que Mundial para o nosso campeonato! Pela primeira vez os 3 grandes estiveram representados ao mais alto nível por jogadores estrangeiros. Ficou conhecido em 1990 por ter defendido 2 penalties de Maradona (um pelo Sporting e o outro em pleno Mundial pela Jugoslávia). Jogou 38 jogos pelo seu país.
Stéphane Demol (Bélgica - Porto): Jogou em 2 mundiais, 1986 e 1990. Disputou 38 jogos pela Bélgica. Ficou famoso no FC Porto por ter marcado 11 golos numa época, nada de mais até sabermos que jogava como defesa central.
Magdi Abdelghani (Egipto - Beira-Mar): De facto 1990 foi especial, para além dos vários jogadores já citados, pela primeira vez um clube fora da órbita dos 3 grandes tem um jogador a disputar um Mundial. Marcou o único golo do Egipto na competição (Penalty frente à Holanda). Jogou 50 jogos pelo seu país.

1 comentário:

João Pedro disse...

Espectáculo!

O Itália '90 de facto, abriu as hostes... a sério!
Estranho que só em '74 tenhamos tido um jogador estrangeiro em Mundiais, em '78 ausência... em '82 e '86 nada de especial e depois o "boom"!
Talvez o início do futebol moderno e a abertura dos mercados de outra maneira... é engraçado ver como as coisas batem certo!

Abraço!