sexta-feira, 2 de junho de 2006

A Ver: Bowling for Columbine


Goste-se ou odeie-se de Michael Moore (eu pessoalmente estou entre os que gostam), temos de reconhecer que ele sabe como chegar ao coração das pessoas, no seu estilo incisivo e provacante, mesmo corajoso de enfrentar os políticos Americanos mais poderosos (onde se inclui o nosso "amigo" Bush) e as suas instituições mais influentes.
Neste documentário as principais "vitimas" são a NRA (National Rifle Association, ou seja o organismo a que representa os tarados das armas), os media e a própria mentalidade dos Americanos.
De acordo com Michael Moore, tem de haver uma explicação racional para o facto de nos EUA, a taxa de homicídios com armas de fogo ser muito mais elevada, que por exemplo no Canadá. De facto embora o Canadá tenha muito menos população, a média de armas por pessoa é muito semelhante, e no entanto enquanto que os EUA tem uma taxa de homicidios superior a 11 000 por ano, os seus vizinhos do norte limitam-se a perto de 30.
Conclui-se portanto que só pode ser um problema de mentalidade, talvez explicado por um passado histórico repleto de violência e guerras... mas isso não explica tudo, pois Moore afirma que a Alemanha e a Inglaterra, também cometeram atrocidades no passado e as suas taxas de homicidios não ultrapassam os 300.
Chegou-se então a uma conclusão, este comportamento pode ser incendiado pelos media, que exploram os homicidos e crimes como se fossem noticias habituais, tornado-as demasiado alarmantes ou exploram os sentimentos das pessoas (perto deste cenário, as noticias da tvi parecem calmas e simpáticas), dando a sensação que ao por o pé na rua vamos ser assassinados por uma horda de gangs. Juntando a este clima o próprio governo que para manter a sua máquina de guerra operacional no Iraque, espalha noticias de prováveis ataques para deixar as pessoas em pânico e apoiar a sua politica, temos como resultado uma nação assustada em que quase toda a gente tem armas em casa prontas a serem usadas.
Moore apresenta então imagens do liceu de Columbine, onde ocorreu uma tragédia, que infelizmente é habitual nos EUA, morrendo 12 alunos e um professor... somado a este acontecimento, surge o facto de na semana seguinte nessa mesma cidade, ter sido promovido um congresso da NRA a publicitar as armas de fogo (simplesmente repugnante).
O presidente da NRA é o conhecido actor Charlton Heston, por isso Michael Moore (ele próprio é membro da NRA, mas tem como objectivo tornar-se seu presidente e desmantelar a organização) decidiu encontrar-se com ele para lhe questionar, a razão de ter promovido tal evento após o massacre, e explicar a lógica de apesar dos EUA serem o país com mais armas por habitante, ser também o país com a mais alta taxa de homcidios do mundo desenvolvido.
Logicamente Heston não teve argumentos, e quando confrontado com a possibilidade de poder pedir desculpa às familias das vitimas pelo seu comportamento no congresso da NRA, este preferiu retirar-se e abandonar a entrevista.
Altamamente recomendado, vale a pena ver, e reflectir sobre este assunto...

6 comentários:

Anónimo disse...

I'm impressed with your site, very nice graphics!
»

Anónimo disse...

Your are Excellent. And so is your site! Keep up the good work. Bookmarked.
»

Anónimo disse...

Very pretty site! Keep working. thnx!
»

Anónimo disse...

Hallo I absolutely adore your site. You have beautiful graphics I have ever seen.
»

Anónimo disse...

I find some information here.

Jota disse...

é bom, bem como o F9-11, mas vem agora ai o do Al Gore, sobre o aquecimento global... "an inconvenient true" que creio que vai ser ainda mais forte do que estes... de qualquer maneira estes filmes embora só sejam 80% realidade... despertam mentalidades... abração macaco!